Inteligência Emocional

Como lidar com críticas e feedbacks (e ser feliz!)

Quantas vezes você se sentiu mal ao receber um feedback negativo, ainda que tenha a consciência de que não colocou todo seu esforço e disposição na tarefa criticada?

Por outro lado, quantas vezes se pavoneou frente a um feedback positivo, e quis contar para todo mundo o feito incrível?

Você age de maneira racional ao receber feedbacks ou acredita que tem um raciocínio distorcido sobre eles?

É importante saber reconhecer sua reação quando está frente a frente com uma crítica, pois ela diz muito sobre a quantas anda sua inteligência emocional. Sentir raiva, rancor de quem dá o feedback ou levar para o lado pessoal algo que é da esfera profissional, por exemplo, são atitudes que demonstram que é preciso parar, respirar e colocar os sentimentos em ordem.

Trazendo para a vida real

A partir de hoje, e por uma semana, você vai pedir feedback dos seus principais trabalhos ou ações. Precisou fazer um relatório? Peça o feedback. Passou a roupa de todo mundo na casa? Peça o feedback.

Mas, com um detalhe: você não pode falar nada além de “obrigado/a por sua opinião”.

Não vai poder reagir, contrapor, concordar, absolutamente nada. Vai ouvir – mas ouvir de verdade, escuta ativa mesmo -, se colocar no lugar do outro, para entender seu ponto de vista, refletir sobre a opinião dada.

E vai refletir por pelo menos um dia.

No caso dos feedbacks negativos, busque soluções e ações para lidar com o problema. Volte em 24h para seu crítico e pergunte o que ele acha das saídas que você encontrou.

Porque isso é tão importante

A primeira coisa que acontece quando não reagimos a uma crítica ou elogio é que nos damos tempo de pensar sobre o que nos levou a recebê-la/o. Refletir é preciso, e, ao fazermos isso, não levamos questões facilmente solucionáveis para a esfera pessoal, gerando um rancor de quem nos deu uma opinião que não gostaríamos de ter ouvido.

Em segundo lugar, racionalizar o feedback realmente te dá a oportunidade de melhorar aquilo que você tinha feito antes.

A Laís, aqui da Profissas, conta que, em seu primeiro estágio em uma rádio, escreveu as sonoras da matéria e levou para a editora aprovar, antes de gravá-la. A chefe disse que estava muito ruim, jogou a pauta no lixo e disse, sem um pingo de sentimentalismo: “faz outra”.

Na primeira vez, Laís sentiu raiva e injustiça com o desaforo todo, mas fez o que a chefe pediu. Repetiu por cinco vezes esse exercício, até que, finalmente, a editora disse: “agora está bom, pode ir gravar”.

Ao comparar a primeira versão à última, ela realmente percebeu que a primeira estava muito aquém de suas possibilidades de escrita. O que a chefe estava dando a ela, de uma maneira meio torta, vá lá, era a possibilidade de fazer ainda melhor.

Até que você conquiste um nível de inteligência emocional que te permita ser grato por um feedback negativo, siga essas dicas:

5 ótimas dicas sobre feedback

  1. DEMONSTRE INTERESSE – O primeiro passo é entender que o feedback é uma oportunidade de desenvolvimento pessoal e profissional. Obviamente você vai ouvir ou ler coisas que não te agradam, mas, muitas vezes, não percebe onde está o erro se ninguém o apontar. Procure ser receptivo, mesmo para coisas que, naquele momento, não sejam agradáveis. Pense, reflita e, posteriormente, tire suas conclusões a respeito.
  2. PERGUNTE, NÃO INTERPRETE – Cuidado com as conclusões precipitadas. Na dúvida: pergunte, não suponha. Muitos problemas de comunicação acontecem porque as pessoas tendem a tirar conclusões de impressões, e não de fatos.
  3. SOLICITE EXEMPLOS – Através de exemplos concretos você pode corrigir determinadas falhas ou aprimorar o que necessita. Portanto, peça exemplos. Caso a pessoa fale de modo genérico, reforce a necessidade de exemplos para que possa compreender a situação e fazer os ajustes necessários. Quanto mais detalhes, melhor.
  4. NÃO SE JUSTIFIQUE – O feedback gera naturalmente os chamados mecanismos de proteção ou defesa. Um deles é a justificativa. Quando algo a incomoda, a pessoa reage buscando justificativas e, assim, não ouve ou recebe o feedback da forma correta. Por isso, evite procurar desculpas, culpados ou motivos para justificar o feedback.
  5. ASSUMA COMPROMISSOS – Ao assumir compromissos você absorve o feedback como um processo positivo e de desenvolvimento. Estabeleça pontos de melhoria, conforme o feedback apontou, traçando metas, prazos, compromissos e foco em resultados práticos e concretos. Avalie-os periodicamente e solicite novos feedbacks para ver se está no caminho certo.
Comentários (0)

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *

×
Ei! Se precisar de algo, estamos aqui pra te ajudar! :)