Prazer, Profissas

Nosso propósito.

Você já reparou quantas coisas incríveis aconteceram no último século? A revolução industrial, as descobertas da ciência, o crescimento exponencial da tecnologia. Isso possibilitou um maior acesso a recursos antes escassos e proporcionou ao ser humano crescer como indivíduo. Nós suprimos nossas necessidades básicas e com isso poderíamos mais! Ter um trabalho? Tornou-se realidade! Ir mais longe? Era possível! Subir na vida? Virou uma meta.

Então o mundo decidiu o que era ser uma pessoa bem sucedida.

Decidiram como você deveria se comportar, que roupas deveria vestir, onde deveria ir, o que deveria estudar e o que deveria fazer. Seguindo esta fórmula pronta, atingir o sucesso era apenas uma questão de tempo. Com o sucesso viria a tão sonhada felicidade – mesmo que fosse apenas no fim da sua vida, quando a aposentadoria chegasse.

Decidiram como você deveria se comportar, que roupas deveria vestir, onde deveria ir, o que deveria estudar e o que deveria fazer

Pelo menos foi isso que nos contaram. E nós podemos não saber muito da vida, mas algumas coisas nós já entendemos.

Já entendemos que sucesso não é ter o carro do ano e parecer o ator mais bem pago de Hollywood. Ser feliz não é repetir o mesmo trabalho, como um robô muito bem programado, por 2/3 da sua vida para enriquecer outras pessoas. Não, não e não.

As gerações anteriores já comprovaram que este modelo só nos levou a destruir boa parte do planeta, aumentar o consumismo desenfreado, criar um abismo entre a pobreza e a riqueza, além de nos confrontar em jogos de poder ao invés de nos favorecer com conhecimento mútuo.

E nós já decidimos: não queremos essa realidade pra ninguém.

Queremos um mundo mais humano e menos corporativo. Um mundo com mais pessoas de verdade, procurando viver e expressar quem realmente são, buscando ser melhores para si mesmas e, consequentemente, para o mundo. Queremos um mundo de abundância para todos, não para poucos. Queremos um mundo onde é possível nos tornarmos a melhor versão de nós mesmos, sem comparações ou limitações, entendo que cada caminho é único.

Queremos um mundo mais humano e menos corporativo

E acreditamos que sim, é possível ser humano enquanto se é extremamente profissional. É isso que nos faz Profissas.

Ser profissa é ser profissional. A ponto de dedicar sua vida servindo o propósito que você escolheu seguir. É lançar-se no aprendizado constante num mundo líquido. É impactar de forma positiva os que estão ao seu redor. É usar o seu trabalho para criar uma sociedade mais justa. É trabalhar com ambição e afinco para chegar onde se quer!

Ser profissa é ser humano. É ser você e não o que te disseram que deveria ser. É tratar com respeito e dignidade a todos, entendendo que seus funcionários, superiores e clientes não são títulos, mas pessoas, vivendo suas dores e prazeres e contando contigo para determinada situação.

Ser profissa é ser humano

E o melhor: independente do que você faz, temos certeza de que você já é ou pode se tornar um profissa. Pois não são os ‘o quês’, mas os ‘comos’ e ‘porquês’ que importam. São eles que contam os seus valores, virtudes e descrevem a pessoa que você é.

Não cansamos de ver profissas por aí. Gente querendo um mundo com pessoas mais felizes, um mundo com pessoas mais capazes, um mundo com mais empatia e respeito, um mundo com mais acessibilidade, um mundo mais igualitário. Se você também se sente um Profissa, vem com a gente e vamos, juntos, transformar este cenário.