Carreira

Tendências em RH para 2021: saiba o que mudou, quais as novidades, e o que veio para ficar no setor de Recursos Humanos nas empresas

Com certeza, em algum momento da sua vida profissional, você já teve o seguinte desejo: “Faria qualquer coisa pra trabalhar em minha casa!”

Não ter que enfrentar horas no trânsito, se espremer dentro do metrô ou do “buzão”, ficar na dúvida em qual roupa usar nos dias que está tão quente e que você acha que vai derreter, e para os marmiteiros de plantão, ter que se preocupar com a marmita do dia seguinte.

Sem contar que trabalhar de casa nos proporciona dormir um pouco mais, trabalhar mais à vontade, almoçar com a família e ter mais qualidade de vida.

Enfim, esse dia chegou. O ano de 2020 foi marcado pela Covid-19, que além de nos proporcionar o trabalho remoto, também tirou do papel e acelerou as mudanças que já estavam em curso no ambiente de trabalho.

Mas, quando falamos em RH, quais serão as tendências para 2021? O que fizemos em 2020 será mantido? Como administrar e lidar com o comportamento dos colaboradores na incerteza de que foram ou não afetados pela pandemia?

Em meio à todas as certezas e incertezas que estamos e vamos continuar encontrando nesse novo ano, uma coisa podemos afirmar:
O RH continuará sendo o principal feitor de mudanças nas empresas.

Porém, antes de entrarmos no que vem aí em 2021, precisamos apontar o que já aconteceu em 2020, até mesmo porquê muita coisa mudou. No entanto, continuamos trabalhando e tendo que honrar nossos compromissos e demandas.

Em 2020, o trabalho que antes era presencial, passou a ser remoto. Se no passado o recrutamento e seleção era totalmente presencial, ele passou a ser totalmente digital, fazendo com que uma pessoa que mora em Curitiba/PR, por exemplo, conseguisse assumir tranquilamente uma vaga em São Paulo/SP.

O gestor, quando queria fazer uma reunião com a equipe, chamava todo mundo para ir pra a uma sala. Hoje ele faz a mesma coisa, porém ele manda um “invite” para a sala virtual. E nessas reuniões tudo pode acontecer, não é mesmo?

É filho aparecendo, cachorro latindo, mãe passando atrás. Momentos que só vemos no Home Office. Muitas dessas tendências já estavam em andamento antes da pandemia e foram aceleradas quando chegamos nesse cenário, porém muitas delas são resultados da metamorfose drástica que as empresas tiveram que passar, e muitas ainda estão passando.

Conversando com alguns especialistas em carreiras e gestão de pessoas, não podemos deixar de dizer que as tendências de RH para 2021 ainda serão baseadas no nosso cenário de pandemia, até mesmo porque, agora que começou o processo de imunização contra o vírus no Brasil, e em um cenário mais otimista, acredito que todos estarão vacinados apenas no final do segundo semestre.

E assim, levando em consideração que vamos ter uma mentalidade empresarial totalmente adepta a mudanças constantes em um cenário de desenvolvimento de novos modelos de negócios, foco em gestão de talentos e um preparo para as mudanças que poderão vir, vamos falar sobre as tendências do RH em 2021.

Home Office definitivo

Com as empresas tendo a consciência de que os resultados foram mantidos e em alguns casos até superados com os colaboradores trabalhando remotamente, é muito provável que esse realmente seja o novo normal, home office full time.

Essa com certeza foi a principal mudança que vimos em 2020 e irá se manter não só em 2021, mas nos próximos anos. Além de melhorar a qualidade de vida dos colaboradores, o home office proporcionou muitos ganhos financeiros e economia para as organizações. Muitas empresas já tinham alguns dias de trabalho remoto no seu pacote de benefícios, porém além dessas, todas foram obrigadas a acelerar esse processo para se tornar integral.

Uma nova experiência e jornada do colaborador

Além das conversas virtuais tomarem o lugar das reuniões presenciais, muitos colaboradores foram e estão sendo contratados nesse período de home office. Alguns deles foram entrevistados virtualmente e já começaram o trabalho sem ao menos terem um contato presencial com seus gestores.

A principal questão nesse caso é que as organizações não devem deixar esse “momento virtual” afetar o engajamento e a noção dos valores da organização perante a equipe. Cabe ao RH redesenhar a jornada do colaborador e criar parâmetros para medir essa experiência virtual.

O que não se pode deixar de lado são elementos como bem-estar do colaborador, equilíbrio entre vida pessoal e profissional, colaboração e atenção nesse momento, conexão mais precisa e suporte necessário, pois são fatores que vão influenciar diretamente o rendimento do profissional e a otimização dos resultados da empresa.

Aprendizado para vida inteira (Lifelong Learning)

Desde o início da pandemia, muitas empresas e instituições de ensino estão liberando os mais diversos tipos de cursos em diversas áreas, alguns deles até gratuitos. Isso aumentou o consumo e a vontade das pessoas em querer aprimorar seus conhecimentos.

Antes da pandemia, muitos colaboradores não estavam inseridos no mundo digital, alguns até se viram em apuros ao se deparar com a necessidade de entrar em chats virtuais, instalar e acessar remotamente os servidores da empresa e ter que resolver os problemas de TI.

Sem muitas opções, esses colaboradores tiveram que buscar alternativas e conhecimentos em cursos e tutoriais na internet, fazendo com que as tendências do Lifelong Learning fossem agilizadas.

Com isso, é importante que o RH crie maneiras de incentivar ou até mesmo premiar essa prática durante esse ano, até mesmo porque está cada vez mais difícil encontrar profissionais com habilidades voltadas para o futuro.

Local e horário de trabalho mais flexíveis

Cada vez mais os recrutadores estão lidando com candidatos que vêm a flexibilização de trabalhar quando e onde quiserem como um beneficio da organização. Alguns candidatos até já deixam claro: “Se a vaga não for 100% Home Office, mesmo depois da pandemia, não me interessa”.

A liberdade dada aos funcionários trabalharem de onde quiserem será essencial para que esse colaborador se torne cada vez mais satisfeito e produtivo.
Sem contar que todos os dados e pesquisas feitas mostram que a produtividade foi totalmente acelerada e produtiva nesse período de trabalho remoto.

Orientação por propósitos e uso de métodos Ágeis

Vamos supor que você atue com recrutamento e seleção em uma empresa de produtos de beleza. Você poderia dizer que seu trabalho é simplesmente recrutar pessoas. Mas vamos lá, é muito mais forte falar que sua função é selecionar os funcionários certos que ajudarão a criar produtos que tornam as pessoas mais bonitas. Esse é o propósito no trabalho: Encontrar razões que produzam um benefício coletivo.

A empresa precisa trazer o seu propósito ao centro de tudo, ou seja, suas decisões, conversas e comportamentos precisam ser integrados a esse propósito. A organização que tem esse propósito bem definido, faz com que seus colaboradores permaneçam engajados mesmo estando em trabalho remoto.

Além disso, a chegada cada vez mais forte de métodos ágeis dentro do RH tem feito com que se crie mais proximidade, agilidade e resoluções positivas com muito mais frequência. Existem diversos modelos e maneiras presentes para fazer com que o RH se torne ágil, mas isso é um assunto para outro momento.

Eu poderia citar mais alguns fatores e tendências pro RH em 2021 e mesmo assim não terminaria, pois as evoluções e mudanças são constantes. Cabe aos profissionais de RH ficarem atentos, procurarem antecipar as demandas e acompanhar o cenário, para que consigam cada vez mais atingir seus objetivos, independentemente de onde estiverem.

Gostou do texto? Acompanhe as redes sociais da Profissas e se ligue no que está acontecendo no mercado de trabalho e as tendências para ficar em dia com as suas habilidades humanas!

Comentários (0)

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *