Carreira

Você não encontra seu propósito, você o constrói

Por que estou dizendo isso? Tem alguns mal entendidos em toda essa busca de propósito que eu vejo que deixa muita gente machucada, ansiosa ou até desacreditada toda vez que esse tema entra em pauta. Alguns deles são:

#01 Acreditar que cada um tem um talento, missão ou tarefa específica.

Somos seres extremamente complexos e não nascemos prontos, vamos nos construindo ao longo dos anos. Você é a soma (ou multiplicação) de todos os estímulos que recebeu ao longo da sua vida, somente a partir da sua vivencia você pode ESCOLHER o que fazer e para onde ir.

Se não está satisfeito com os estímulos que recebeu até hoje, procure novos! 🙂

#02 Acreditar que seu propósito/missão deve mudar o mundo.

Calma, o mundo é muito grande e não é feito só por você. Comece pequeno, se conhecendo e tendo ciência que você não vai fazer nada sozinho. Nesse exato momento tem milhões de mães, pais, professores, agricultores, enfermeiros, bombeiras, cientistas e motoristas de vans escolares contribuindo pra que todo mundo possa continuar e melhorar suas vida por aqui.

Você é parte do todo e pode ESCOLHER onde contribuir.

#03 Acreditar que você vai ter um propósito para vida inteira.

Como já falei ali em cima, o propósito é uma escolha, é uma construção. Você escolhe onde vai colocar suas energias (geralmente em algo que faça muito sentido para você). Assim como todas as nossas ambições e anseios, elas mudam com o tempo. Tudo bem se daqui a pouco você escolher outra coisa pra fazer da vida.

#04 Acreditar que seu propósito vai cair no seu colo.

Como já falei ali em cima: você o constrói, não o encontra. Acreditar que existe uma ‘missão de vida’ te esperando do outro lado da esquina é inocência.

Sabe como você o constrói? Não é rolando a timeline do Facebook, mas sim estudando, trabalhando ou vivendo de verdade (isso inclui longas conversas com pessoas novas ou que você gosta e admira)

#05 Achar que a vida tem algum sentido.

Não, ela não tem. Queria terminar esse tópico assim, mas acho sacanagem hahaha.

Se perguntar “por que estou aqui” é importante sim, mas só tem dois fins: criar sua própria resposta ou não encontrar a resposta. As duas estarão erradas, mas se fizerem sentido, tudo bem.

Na minha cabeça o mais legal é pensar “Caramba! Eu estou aqui! O que eu posso inventar até não estar mais?”

#06 Imaginar que você realmente precisa do tal de ‘propósito’.

Não, não precisa. Essa é a palavra da moda e sim, ela gera quase tanta pressão quanto escolher sua faculdade aos 17 anos.

Encontrar algo que você goste ou veja sentido no fazer facilita, e muito, o processo, mas também pode te fechar e limitar para várias outras coisas que o mundão oferece.

No fim das contas, saiba que está tudo bem, seja lá em qual fase do processo você estiver. A única coisa que eu te aconselho a estar atento é: viver em angústia e sofrimento não é normal, se você sente que algo está errado e você precisa mudar, mude.

Comentários (2)

    Deixe um comentário

    Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *

    ×
    Ei! Se precisar de algo, estamos aqui pra te ajudar! :)