Vida

The Impossible List: a forma mais legal de conquistar objetivos

“A felicidade está na jornada, e não no destino.”

Há algum tempo, venho me acostumando com um conceito chamado Impossible List, que conheci por meio das palavras do Joel Runyon, criador do mindset que é tema do presente artigo.

Digo que “venho me acostumando”, por que sempre fui um pouco resistente com a adoção de fórmulas prontas para o sucesso, e no começo era isto o que eu pensava sobre a tal da Lista do Impossível / Improvável: eu achava que era só mais uma ferramentinha pseudo zen voltada para aplicação na vida pessoal e elaborada com base nos últimos modelos de negócios da atualidade. Ledo engano.

A impossible list é acima de tudo uma forma de pensar, e não apenas uma ferramenta. Ela é na verdade, uma das maneiras de pensar mais originais com a qual me deparei nos últimos tempos.

Em resumo: ela é um modo de pensar e refletir sobre quais são nossos sonhos, desejos e objetivos na vida, adotando a perspectiva de que nada é impossível se você estiver preparado; e se tiver um plano que faça sentido e que tenha um passo a passo lógico.

Quando Runyon criou essa ferramenta, ele quis encontrar um modo racional de seguir na direção da conquista dos seus sonhos, das coisas que ele imaginava como impossíveis. E é isso que torna essa ferramenta em algo tão legal: ela não é uma lista de coisas que você deve fazer para alcançar um objetivo. Ela é uma lista de pequenas conquistas que você deverá continuar a perseguir, ad eternum, para chegar o mais perto possível do impossível! (notem o paradoxo) E é aí que mora o brilhantismo da impossible list: ela é um caminho não para o alcance de um sonho, mas sim para a criação de uma vida cuja jornada seja eterna e repleta de realizações, afinal, a felicidade está na jornada e não no destino.

Não quero me alongar muito falando sobre o quão maravilhoso eu acho esse conceito de lista do impossível, mas antes de explicar o passo a passo sobre como montar a sua primeira (sim, a primeira, pois sei que você tem muitos planos e sonhos!), quero dar um exemplo de como eu uso essa ideia para guiar um dos meus grandes sonhos: tocar uma música junto com o Jack Johnson.

Sim! Por mais cafona que você possa achar esse sonho (respeite meu sonho, jovem), ter a chance de tocar uma música ao lado do meu maior ídolo no mundo da música é uma das coisas mais impossíveis que consigo vislumbrar para minha vida, mas que ao mesmo tempo, me dá um grande frio na barriga e vontade de agir. Então pronto: não é necessário mais do que essas sensações básicas para delimitar-se um sonho, o objetivo impossível.

À partir daí, por mais improvável que seja seu sonho, você já começa a ter uma ideia de todos os aspectos da sua vida que precisam ser desenvolvidos para chegar cada vez mais perto disso.

No meu caso, voltando ao sonho de virar bother do JJ, fica muito fácil levantar ideias de habilidades que eu preciso desenvolver para fazer bonito quando (e caso) esse dia chegar:

  • Estudar música: Preciso ser letrado em música, logo, devo estudar, me envolver, saber improvisar e discutir o tema, deixá-lo tão natural como caminhar.
  • Perder o medo de platéia: Devo superar o medo de subir em um palco para me apresentar para uma platéia
  • Me aprofundar na obra do JJ: Preciso saber de cabo a rabo todas as músicas do cara
  • Fazer networking: Devo conhecer e me conectar com as pessoas certas, com pessoas que também compartilham de sonhos parecidos e que vivem no mundo da música

Bem, isso é apenas um breve resumo das habilidades que julgo necessárias para chegar lá, mas note que todas elas seguem um padrão: são habilidades que eu vou desenvolver durante uma vida inteira, ou no mínimo durante um bom tempo dela para ficar pronto e à postos para quando a oportunidade surgir. A busca pela excelência nessas habilidades é infinita, e por ser infinita, é impossível. Sacou?

É isso que delimita uma lista do impossível. O preparo nunca cessa: eu sempre terei algo a mais para aprender no mundo da música. Eu sempre terei de enfrentar uma platéia diferente. Eu sempre terei de me conectar com novas pessoas. E conforme o próprio JJ escrever novas músicas, eu sempre terei novas músicas dele para aprender.

Perceba: quanto mais “fluente” e seguro eu estiver nessas habilidades, mais natural será esse percurso. Quanto mais eu agir nesse sentido, mais eu estarei convergindo para que tudo conspire a meu favor. Quanto mais conquistas e avanços houverem nesse caminho, por menores que sejam, mais proveito eu farei quando o acaso vier ao meu encontro.

Pasteur já dizia “o acaso favorece as mentes preparadas”. Portanto, prepare sua mente para alcançar os seus sonhos. Esteja pronto para quando o acaso resolver agir em sua vida.

Outra coisa brilhante a se extrair dessa ideia de lista do impossível é o fato de que, se o sonho for realmente fucking impossível (digamos que JJ deixe de lado a música para viajar de barco pelo mundo), ainda assim, terei extraído pérolas muito valiosas durante o meu preparo, a ponto de à partir de então, conseguir estabelecer ou buscar sonhos muito diferentes ou muito mais conectados ao meu propósito de vida, afinal, na vida a única regra que não muda é a regra que diz que tudo sempre muda.

Certo, mas e afinal, como aplicar isso à minha vida?

Bem, se estão delimitados o sonho e também as habilidades que você julga necessárias para estar preparado, então agora você precisa criar pequenas metas para que você possa progredir. Você não precisa racionalizar todo e qualquer pequeno passo que possa parecer importante, mas apenas ter uma ideia das coisas que farão a diferença.

Vamos dar asas à imaginação com um outro exemplo: “ir de moto para o Chile”

Novamente temos aí um sonho bem ousado, afinal, estamos falando de mais de 2.500km de estrada. Pode até ser que muita gente pense o oposto, ou seja, que é um objetivo fácil, afinal, seria o caso de apenas sair de moto em um belo dia de sol; levar uma graninha para dormir e comer; e arranhar um mínimo de espanhol. Na minha opinião, pensar desse modo é para gurus do desapego à vida, já que os contratempos no meio dessa jornada podem e irão surgir.

Se quisermos alcançar esse sonho, e acima de tudo, voltarmos são e salvos para casa para poder contar a história para nossos netos um dia, então, um passo a passo lógico fará toda a diferença para nosso preparo para essa conquista. No caso, podemos imaginar que precisamos:

  • Dominar a Moto: entender da mecânica e como consertar falhas que acontecem durante o percurso; ter um bom “entrosamento” com a sua moto a ponto de sentir que ela é uma extensão do seu corpo;
  • Falar espanhol: você não precisa ter certificados na língua, mas concorda que quanto mais souber, mais proveito poderá tirar da experiência, certo?
  • Estar com um bom condicionamento físico e mental: entender os seus limites; o tempo de percurso ideal por dia; como seu corpo reage percorrendo grandes distâncias; estar treinado, com força e vigor para pilotar até o fim; ser capaz de manter a calma durante horas a fio;
  • Entender sobre a viagem: compreender as leis dos países pelos quais passará; estar munido de todos os documentos necessários; ter consciência sobre os trajetos escolhidos e sobre a sua estrutura (postos de gasolina, albergues, paradas etc.)

Mais uma vez eu reforço: notem que para todas essas habilidades acima, nunca existirá um nível máximo. Você não precisa de – e aliás, nem mesmo existe – um certificado de “Domínio de Motos”. Para falar espanhol, você não necessariamente precisa de um certificado. E também não precisa ser um “Mestre Fitness” ou um doutor em Geografia. Porém, quanto mais preparado e experienciado estiver em cada aspecto, melhor será seu desempenho.

Para “Dominar a Moto”:Para poder Falar Espanhol:Para ter um bom condicionamento Físico e mental:Para entender a viagem:
Fazer uma viagem de 1 hora com a motoLer um livro infantil em espanholFazer atividades físicas todos os dias por 1 horaMarcar no mapa todos os pontos pelos quais quero passar
Fazer um curso rápido sobre mecânica;Ler um livro em Espanhol;Desenvolver o hábito de se alongar;Buscar informações sobre documentos exigidos;
Fazer uma viagem de 3 horas com a moto;Participar de um encontro de conversação em espanholFazer atividades físicas todos os dias por 2 horasDiscutir a viagem com pessoas que já fizeram roteiros parecidos
Trocar ao menos uma vez um pneu de motoPraticar espanhol com algum app ou siteMeditar por 15 minutosLer um livro sobre a cultura dos países pelos quais passará
Fazer uma viagem de 6 horas com a motoConversar com pessoas em espanholMeditar por 30 minutos

 

Se você já está acostumado a temas como empreendedorismo, é muito possível que você possa notar uma certa semelhança entre a lista do impossível e um conceito chamado RoadMap. Enfim: criar um roadmap ou uma lista do impossível nada mais é do que estabelecer um grande objetivo e a partir dele, exercitar a imaginação tentando enxergar pequenas etapas e passos que serão necessários para você chegar lá. Lembre-se: eles devem seguir uma lógica e serem perseguidos ad eternum!

E aí, o que achou da Impossible List? Conta pra gente nos comentários e, se sentir a vontade, conta seu sonho louco aqui pra gente também (Assim como contei o meu!). Até mais! 🙂

Comentários (1)
  1. Rapaz… Meu sonho louco/impossível/improvável é fazer uma performance de pole dance no palco do Rock in Rio, enquanto Metallica se apresenta… Acho que vou colocar algumas coisas numa lista por aqui. Obrigada!!

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *