Comunicação

Seu corpo fala e você precisa ouvi-lo

Provavelmente você já ouviu falar que seu corpo fala, é frase é tão antiga quanto cliche.

O que pouca gente sabe é da real dificuldade em dominar técnicas de expressão corporal, uma vez que seu corpo físico demonstra sua situação mental. Uma mente emocionalmente equilibrada tem controle sobre o corpo, movimenta-se de maneira correta e têm uma relação saudável com o organismo.

Entender os preceitos da linguagem corporal também te ajuda a desenvolver a inteligência emocional, uma vez que o corpo revela todas as nossas emoções, e, se não há um bom gerenciamento, isso se reflete de alguma forma visível.

Aliás, já ouviu falar da regra “7-38-55”?

Trata-se de uma pesquisa de linguagem corporal elaborada na década de 1950 por Albert Mehrabian. O pesquisador concluiu que 7% da comunicação é atribuída ao componente verbal (o que você diz), 38% ao componente vocal (tom da voz) e 55% ao componente facial (linguagem corporal).

Ou seja, 93% de toda a comunicação interpessoal não-verbal é responsável pela formação de uma primeira impressão.

Então, além de reconhecermos nossos gatilhos e sentimentos, precisamos hacker nossos gestos também.

O autoconhecimento é um passo importante na reformulação de sua linguagem corporal, mas tá tudo certo. Afinal de contas, você deve se conhecer o suficiente para saber o que anda errado.

Entendendo a sua comunicação corporal

Para entender melhor como anda sua linguagem corporal no trabalho e na vida, realize uma auto-avaliação:

  • Como você se vê? Talvez, seus gestos e posturas estejam falando muito de você mesmo, mesmo que não os esteja percebendo.
  • Como está reagindo às ordens e pedidos que recebe? Como está seu atendimento?
  • Que postura assume na hora de fazer alguma atividade? Está relaxado demais, sem sorrir, corpo encurvado? Ou está fazendo tudo conforme o figurino?
  • Quais gestos você faz com muita frequência? Consegue relacioná-los às suas emoções?

Você consegue reconhecer algumas linguagens nos outros… mas é capaz de fazer isso consigo mesmo? Tem plena consciência de como você reage?

Outra prática interessante para treinar essa avaliação é tirar um tempo para ver quais são as suas feições diante de alguns acontecimentos.

A ideia é que você pare na frente de um espelho e interprete as reações abaixo:

  • Você chegou a um lugar que não conhece e parece perdido.
  • Você está passeando com seu cachorro quando tropeça e fica muito irritado.
  • Você está assistindo um filme de terror e está muito assustado.
  • Você está comendo um sanduíche e parece não gostar.
  • Você está correndo em uma maratona e chega em primeiro lugar.
  • Você está lavando seu carro quando a água acaba e isso te deixa frustrado.
  • Você está fazendo as malas e parece indeciso sobre o que levar.
  • Você acabou de fechar o carro com as chaves dentro e fica desesperado.
  • Você está andando quando encontra dinheiro no chão e fica animado.
  • Você está dentro de uma condução lotada e sente-se mal.
  • Você está fazendo sinal para o ônibus e ele passa sem parar. Você fica enfurecido.
  • Você está fazendo cálculos matemáticos e fica confuso.
  • Você está esperando alguém e fica entediado.
  • Você está assistindo a um jogo de futebol e está nervoso.
  • Você está entrando por uma janela e parece suspeito.
  • Você está discutindo com alguém e parece arrogante.
  • Você está escondido em um canto e parece apavorado.
  • Você está falando com alguém e parece apaixonado.
  • Você está na sala de aula e parece desinteressado.
  • Você está se arrumando e parece ser muito vaidoso.
  • Você está se olhando no espelho e parece muito convencido.

Dica bônus!

A partir de hoje, em todas as suas interações, durante uma semana, você se atentará a:

  • Mantenha contato visual direto;
  • Mostre um sorriso acolhedor;
  • A postura deve ser ereta, com os ombros projetados para trás;
  • Os gestos com as mãos e os braços devem seguir naturalmente suas palavras;
  • Seja firme e claro na hora de falar, com um tom de voz moderado.

Porque isso é tão importante

Observar nosso corpo e os das pessoas ao nosso redor é um exercício muito interessante de autoconhecimento.

Vale lembrar que essa observação não deve ser feita com um olhar estético, de julgamento, se estamos ou não dentro dos padrões da moda e das revistas, e sim de uma maneira curiosa a respeito do quanto podemos descobrir através dos desejos e medos não integrados em nossa consciência, que se manifestam em nossos corpos físicos.

O corpo e sua forma denunciam nosso inconsciente, tudo o que não “sabemos” sobre nós ou não queremos entrar em contato está logo aqui, diante de nossos olhos.

Lembre-se: uma mente emocionalmente equilibrada tem controle sobre o corpo, movimenta-se da maneira correta e, principalmente, não sobrecarrega o organismo com reações violentas.

Por hoje de deixo com uma dica de alguns materiais que me ajudaram bastante no desenvolvimento da inteligência emocional:

E se eu quiser me aprofundar?

Separamos alguns conteúdos que podem te ajudar:

O livro Desvendando os Segredos da Linguagem Corporal, de Allan e Barbara Pease

O livro O Corpo Fala: A Linguagem Silenciosa da Comunicação não Verbal, de Roland Tompakow

A palestra de Amy Cuddy: Sua linguagem corporal molda quem você é.

Comentários (0)

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *

×
Ei! Se precisar de algo, estamos aqui pra te ajudar! :)