Carreira

Propósito: ter ou não ter, eis a questão

Um dos termos mais falados do momento, no meio empreendedor, é o tal do propósito. Tem livro, palestra, podcast, guru, vídeo, empresário, blog e uma infinidade de conteúdos sobre o bendito propósito, e todos apontam para a mesma direção: uma vida com propósito é a chave da felicidade.

Não quero descontruir nada disso, nem tentar contradizer nosso querido Prem Baba¹. Pelo contrário, acredito que é importante sabermos claramente para onde estamos indo e quais são os nossos objetivos.

O problema é que esse monte de vozes falando sobre isso parecem dizer que o propósito é algo quase inatingível, que poucas pessoas conseguem descobrir. É como se um anjinho estivesse dizendo que você precisa encontrar o seu propósito e ao mesmo tempo um capetinha sussurrasse que é impossível. Se parece que o se o dito cujo insiste em não se revelar magicamente para você e prefere permanecer no anonimato enquanto você vai levando a vida, não se preocupe.

Até algum tempo atrás propósito era uma palavra muito usada nas igrejas, sempre associada ao que Deus coloca como propósito na vida de alguém, algo como uma missão de vida, uma tarefa a ser cumprida. Em todo esse material que encontrarmos no meio empreendedor também há essa noção de missão, como se o propósito fosse algo muito maior do que nós mesmos, quase divino e um tanto inatingível. Porém a definição de propósito é bem mais simples que isso.

Olha só o que o grande amigo Google nos diz:

Calma, propósito não é tudo isso!

Impactar sociedades, transformar pessoas, salvar vidas deve ser realmente incrível e muito nobre. Só que uma vida com propósito não levará necessariamente a isso, a gente precisa tirar esse peso das costas. Propósito nada mais é do que ter uma direção clara para onde seguir e agir nesse sentido.

Lembra quando éramos crianças, com pouca noção, e machucávamos alguém? A primeira coisa a dizer quando chegava alguém mais velho era “Eu não fiz de propósito” e o simples fato de não termos tido a intenção de ferir já amenizava a bronca (isso não vale pra sempre, viu? A gente cresce e precisa lidar com consequências dos nossos atos, sejam intencionais ou não).

No fim das contas o propósito nada mais é do que a razão de fazermos o que fazemos, é aquilo que nos motiva a seguir o que acreditamos, o que queremos, seja um sonho, seja um objetivo, uma meta, um estado, um lugar…

Quando olhamos para dentro de nós mesmos, entendemos e queremos de verdade alguma coisa, encontramos o propósito. Ele não precisa ser nobre ou altruísta. Ter objetivos financeiros é ter um propósito claro. Sonhar com uma viagem pelo mundo pode ser um propósito. Idealizar uma casa e família feliz pode ser um propósito. São finalidades que nos levarão a levantar do sofá e nos mexermos para fazer acontecer!

O que vale mesmo é o coração

Não adianta estabelecer um propósito super-mega-incrível-maravilhoso-transformador para si mesmo, se aquela vontade mais profunda não estiver alinhada com isso! O objetivo pode ser lindo, mas se você não acreditar e não houver um desejo real dentro de você, dificilmente você conseguirá fazer com que o projeto aconteça, pois ele não está alinhado com o seu propósito.

Agora se você acredita de verdade verdadeira em um projeto e quer fazer com que ele aconteça de alguma forma, mesmo que seja super difícil e que não haja um propósito muito claro no começo, vale a pena insistir. O que vale mesmo é colocar o coração! E aí você vai ter que procurar o que desperta algum sentimento, por menor que seja, dentro do que você se propôs a fazer para que consiga dar o melhor de si.

Sabendo o que nos move e o que nos sensibiliza no mundo, poderemos ver tudo com outros olhos e perceber que se não conseguirmos (por qualquer razão que seja) colocar todo o coração em uma causa linda na qual acreditamos, tudo bem. Nós ainda podemos colocá-lo em todas as outras atividades que fazemos, até naquelas mais chatas e burocráticas. Ao colocar o coração nas nossas ações toda a vida fica um pouquinho mais leve e quanto mais leve estivermos, maiores serão as chances de transformarmos o mundo ao nosso redor. Sabe por quê? Porque quando estamos seguros no que somos e as pessoas ao nosso redor sentem e assim cria-se um ambiente muito melhor no mundo. Só isso já um belo propósito.

Pode ser que no começo da busca pessoal ou empreendedora você sinta que o tal propósito esteja longe demais, mas vamos tentar aos poucos colocar o coração no que fazemos. Devagarinho vamos sentir que tudo ganhará mais sentido e o propósito se tornará realidade sem nem percebermos.

¹ Super recomendado o livro Propósito: A coragem de ser quem somos, do Prem Baba, mas vamos ler com um olhar crítico e filtrando o que faz bem pra gente, combinado?

Comentários (0)

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *