Diversidade

Dia Internacional do Orgulho LGBTQIAP+: 10 pessoas para você acompanhar sobre o tema Diversidade e Inclusão

Em junho, comemora-se o Mês do Orgulho LGBTQIAP+.

O movimento celebra a diversidade das pessoas independentemente da sua orientação sexual ou quaisquer outras características.

As celebrações são reconhecidas internacionalmente, tendo como o dia 28 de junho a data que marca a  luta  pelos direitos LGBTQIAP+.

Como forma de reconhecer os nomes que se destacam pela defesa e acolhimento de grupos minoritários, a maior rede social profissional do mundo, o LinkedIn, apresentou, nos últimos dias, a lista Top Voices Orgulho.

A seleção mostra dez nomes que utilizam a plataforma como meio de conscientização sobre Inclusão e Diversidade. 

O CEO da Profissas, Victor Lambertucci, é um dos nomes reconhecidos na luta pela Diversidade & Inclusão no mercado de trabalho.

“Fazer parte dos influenciadores do Orgulho é o reconhecimento de um trabalho intenso para romper padrões excludentes e construir uma sociedade equânime. Estar com nove profissas que admiro e que representam diferentes lutas e vivências torna ainda mais especial. Esse posto não é só nosso, é de toda a comunidade LGBTQIAP+, e nós vamos usá-lo para colorir o mercado de trabalho”, destaca Victor.

Para o CEO da Profissas, a mensagem do Mês do Orgulho LGBTQIAP+ vale para os 365 dias do ano.

Nossa identidade não diminui de nenhuma forma nosso potencial, muito pelo contrário. Nossa natureza é plural e essa pluralidade que nos torna seres tão potentes, versáteis e criativos. Diversidade é inovação, é reparação histórica, oportunidade social e uma questão de sustentabilidade e sobrevivência dos negócios daqui frente”, destaca.

Com o objetivo de se aprofundar na pauta e levar mais diversidade para as equipes, vale conferir quem são as figuras marcantes, de acordo com o LinkedIn, que inspiram nessa jornada pela Inclusão. 

Confira a lista completa Top Voices Orgulho LGBTQIAP+:

Victor Lambertucci – CEO da Profissas

Sobre o que fala: Victor é jornalista, publicitário e empreendedor. Como CEO da Profissas, escola dentro da temática de diversidade e inclusão, transmite a ideia do conhecimento plural como objeto de estudo e parte essencial das habilidades humanas. Também é cocriador do Potências Negras, plataforma que busca acelerar a inclusão de pretos e pardos no mercado de trabalho. No LinkedIn, Tucci debate temas como a importância de negócios diversos e pesquisas importantes para a área.

Cássia Andrade, especialista em Diversidade, Equidade e Inclusão

Sobre o que fala: A psicóloga especializada em DE&I viu na educação uma forma de combater violências, promover acolhimento e mudar realidades. Cássia debate em seu perfil violências sofridas por mulheres, pessoas trans e travestis, neurodivergentes e mães solo. Dentro do debate da sexualidade, Cássia propõe reflexões sobre a invisibilidade LGBTQIAP+ e a importância do orgulho e da diversidade sexual.

Daniel Leal – Cofundador da Carbon

Sobre o que fala: Daniel é publicitário e criador de conteúdos audiovisuais dentro da temática de diversidade e inclusão. É o fundador da Carbon, startup que debate a aceitação de sexualidades, gêneros, etnias e deficiências na comunicação dentro de empresas. No LinkedIn, trata da aceitação da comunidade LGBTQIAP+, representatividade e diversidade no mercado de trabalho.

Judá Nunes – escritora e fundadora da AfronTRAVAS

Sobre o que fala: Judá usa comunicação e arte como formas de reflexão sobre as violências diárias contra pessoas trans e travestis no Brasil. Além de especialista em DE&I, é a fundadora do podcast AfronTRAVAS, que reúne comunicadoras travestis de diferentes regiões e histórias a partir do “artivismo”. Judá compartilha em suas redes parte da luta diária de travestis por educação, empregabilidade e respeito, além das vivências da área de diversidade e inclusão.

Mariana Torres – cofundadora da Diversa Jobs 

Sobre o que fala: Mariana é psicóloga de formação, mestra em estudos de gênero e equidade e especialista em diversidade nas corporações. É fundadora da Diversa Jobs, plataforma de empregos especializada em conectar oportunidades de trabalho e grupos minoritários, muitas vezes afastados do mercado formal. Além de compartilhar oportunidades de carreira e desenvolvimento, Mariana também usa suas redes para levantar a temática de diversidade com enfoque na equidade de gêneros e racial.

Nathália Fernandes – analista de Comunicação Interna na brMalls

Sobre o que fala: “Minha maior arma no combate à transfobia é viver minha vida com dignidade”, conta Nathália. Discutindo a temática da diversidade, a jornalista traz o debate da importância da representatividade para pessoas LGBTQIAP+ no trabalho, na mídia e na sociedade. Nathália usa suas redes para levantar debates sobre educação, mundo profissional e violência contra as minorias.

Pedro Cruz – gerente de Cultura e Impacto e CSO na SOKO e SampaTalks

Sobre o que fala: Pedro vê na comunicação uma ferramenta de transformação social. Com esse pensamento, o publicitário criou o SampaTalks, um hub voltado para diversidade, inclusão e equidade que une especialistas e o público. As conversas são levadas para encontros, redes sociais e organizações. No LinkedIn, Pedro levanta discussões sobre a realidade de pessoas LGBTQIAP+ no Brasil e como empresas podem adotar ações mais diversas ao longo do ano.

Rafa Moraes – cofundador e CEO na Tamo Juntes

Sobre o que fala: “Impactar vidas e TRANSformar realidades” é o objetivo de Rafa Moraes, cofundadora e CEO do projeto Tamo Juntes. A iniciativa feita pela e para a comunidade LGBTQIAP+ aplica treinamentos e capacitações, viabilizando a inserção de minorias afastadas do mercado formal em áreas como diversidade, inclusão e tecnologia. Em seu perfil, Rafa conta sobre o acolhimento e desenvolvimento de pessoas LGBTQIAP+, como empresas podem se tornar aliadas da luta pela diversidade e a importância da representatividade em cargos de liderança.

Tamara Braga – chefe de Diversidade, Equidade e Inclusão na Gupy

Sobre o que fala: Tratando do tema da equidade dentro de uma companhia de recrutamento, Tamara repercute questões raciais, de gênero, sexualidade e inclusão de pessoas com deficiências na cultura corporativa, como conta: “Espero que as empresas sejam locais seguros para sermos quem somos”. No LinkedIn, ela convida empresas e recrutadores a adotarem temas de importância social, como o ESG, e compartilha suas vivências enquanto chefe de DE&I.

Thomas Nader – People Business Partner Supervisor e vice-diretor no Mercado Livre e Projeto Transpor

Sobre o que fala: Atuando como supervisor na área de diversidade e inclusão, Thomas carrega em sua bagagem uma história de orgulho. Seus conteúdos tratam da inclusão, aceitação e respeito aos grupos minorizados. No Projeto Transpor, oferece consultorias de carreira gratuitas para pessoas trans, muitas vezes excluídas do mercado formal. Em suas redes, Thomas debate a importância da diversidade nas corporações e da representatividade dentro da DE&I.

Como é construída a lista do LinkedIn

Segundo o LinkedIn, Top Voices é uma série de listas que foram personalizadas pelos editores do LinkedIn, com o objetivo de destacar os criadores de conteúdo que devem ser seguidos e que abordam os segmentos e/ou tópicos escolhidos. 

Para compilar as listas, os editores consideram o conteúdo de cada pessoa no LinkedIn, especificamente suas contribuições relevantes, que promovem o diálogo e tratam de assuntos em alta. 

O objetivo do Top Voices Orgulho é enfatizar um conjunto diversificado de pessoas para que a lista reflita o mundo atual em que vivemos e trabalhamos.

Sobre o Mês do Orgulho LGBTQIAP+

Só quem já vivenciou o preconceito na pele consegue mensurar a necessidade de comemorar as conquistas do movimento e continuar cobrando o que ainda não está garantido. 

O dia 28 de junho é considerado o Dia Internacional do Orgulho LGBTQIAP+, mas, durante todo o mês, muitos eventos são realizados com o objetivo de conscientizar a população no que diz respeito ao combate à homofobia e construção de uma sociedade livre de preconceitos.

A história começou há mais de cinco décadas, em 1969, nos Estados Unidos, com a rebelião conhecida como Stonewall. 

No evento, gays, lésbicas, travestis e drag queens, liderados pela ativista Marsha P. Johnson, enfrentaram a força policial em Nova York. 

O episódio foi marcado por uma série de manifestações violentas, visto que a polícia fazia frequentes batidas no bar Stonewall Inn, prendendo os frequentadores do  local, em sua maioria gays, além de obrigar o estabelecimento a fechar as portas.

Em solidariedade às pessoas que sofreram abusos dos policiais, inúmeros manifestantes se dirigiram ao bar no dia 28 de junho de 1969 e protestaram durante seis dias. 

Cerca de 30 dias após esse movimento, aconteceu em Nova York a primeira Parada do Orgulho Gay do mundo, se transformando em um agenda fixa em várias cidades do planeta, inclusive no Brasil.

“Essa  luta possibilita à comunidade LGBTQIAP+ ter os mesmos direitos que qualquer outro cidadão, como casar, constituir família, ter acesso a serviços de saúde, frequentar espaços públicos sem ser criticado, se relacionar com quem quiser e poder concorrer a vaga de emprego, concurso público, universidade e tudo o mais que seja de direito. Ainda temos muitos desafios pela frente, mas não podemos ignorar que já conseguimos conquistas na sociedade”, destaca o LinkedIn Top Voice Victor Lambertucci.  

E aí, gostou do nosso conteúdo?

Continue acompanhando as notícias no blog da Profissas e também em nossas redes sociais, pelo LinkedInInstagram e Spotify.

Comentários (0)

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *