Freelancer

Como conseguir seu primeiro job como freelancer

Todo mundo que é freela te conta uma história diferente sobre como começou essa jornada. Alguns queriam só complementar a renda, outros juntar grana para uma conquista grande, outros ainda queriam viver o sonho de fazer o que amam. Afinal, nem sempre as duas coisas, paixão e trabalho, andam juntas.

O importante não é bem como vai começar a sua história, se a vida de freelancer for realmente algo que te chama a atenção, mas sim como ela vai terminar. Porque, na real, dar o primeiro passo é bem fácil; difícil é continuar na labuta, acreditar no seu potencial, conquistar os clientes e garantir a tão sonhada estabilidade, que pode vir tanto com o trabalho individual do freela quanto no investimento em sua própria empresa, cheia de colaboradores e clientes.

Os outros cenários possíveis podem não ser tão favoráveis. Um passo em falso e você perde a sua reputação, seu cliente e sua renda. Além disso, nem sempre o que fazemos como freela vai ser aquilo que mais gostamos, o que é um prato cheio para facilitar o processo de perder a paciência (e a razão) no jogo.

Basicamente, o que diferencia um freela que pode seguir com a carreira daquele que não vai sustentar esse estilo de vida por muito tempo é o comprometimento. É preciso ter disciplina, resiliência, jogo de cintura. Também é preciso saber negociar e, mesmo que muito educadamente, recusar trabalhos que não tenham a ver com seus propósitos ou não serão lucrativos.

É pegando qualquer coisa por qualquer preço que os freelas, muitas vezes, se frustram, e acham que o emprego tradicional é a melhor opção, mesmo que essa escolha faça a pessoa ser completamente infeliz.

Nossa dica é focar em um bom final para essa história, pavimentando o caminho que te levará ao sucesso e à conquista dos sonhos. Por isso, se você já é uma pessoa comprometida e disciplinada, ou se deseja desenvolver essas habilidades a partir de agora, veja nossa listinha de dicas para você conseguir seu primeiro freela e lançar, de vez, seu nome no mercado.

#1 Anuncie seu trabalho

A gente usa as redes sociais pra tanta coisa inútil, por que não fazer o contrário, só pra variar?

Se você tem perfil no Facebook, Instagram e similares, use-os para anunciar aos amigos e família que você está procurando começar uma nova etapa na sua carreira. Diga quais são os serviços que você quer prestar e avise que está em busca de oportunidades que não exijam exclusividade ou presença.

Uma dica: não subestime o valor do LinkedIn. Se ainda não tiver, faça seu perfil na rede da maneira mais completa possível. Se tiver, procure entrar todos os dias, participar de fóruns de discussão e fazer seus próprios posts.

Essa é, atualmente, a melhor rede para quem procura oportunidades interessantes de trabalho, ainda que no regime freelancer.

#2 Reviva contatos

Nem sempre vamos ter o contato de todas as pessoas que conhecemos por nossa vida toda. É por isso que, ao se lançar como freela, é importante que você revisite sua lista de contatos e veja quais podem te ajudar, efetivamente, nesse novo momento.

Pode ser um ex-professor, o recrutador daquela entrevista de emprego que você fez há anos, a tia da sua prima que tem uma empresa e que, provavelmente, pode precisar dos seus serviços.

Apresente suas soluções de forma rápida, prática e não exija uma resposta imediata dos contatos. Apenas avise que, se eles precisarem, você estará à disposição.

Mais uma dica de ouro: tenha em mãos seu cartão de visitas. Ao reviver contatos ou criar novos, em palestras, cursos ou simpósios da sua área, você precisa ter essa velha ferramenta do networking para que as pessoas levem suas ideias para casa.

#3 Considere preços competitivos

Quem está à procura do primeiro freela dificilmente terá portfólio para apresentar, e quanto menor a experiência, menor deve ser o orçamento frente às opções que já têm um nome consolidado.

Isso é importante, inclusive, para que os clientes se sintam à vontade em conceder a oportunidade que vai virar experiência. Assim, a partir do primeiro freela, você terá trabalhos a mostrar para o próximo prospect.

Portanto, nada de querer chegar no trem e já ir se sentar na janelinha, cobrando duas ou dez vezes mais que os colegas. A gente sabe que, provavelmente, é exatamente esse o valor que você merece, mas quem vai com muita sede ao pote pode acabar queimando a largada.

#4 Mostre projetos já feitos

A propósito, se seu freela tem a ver com coisas que você já desenvolveu na universidade ou em empresas, no regime CLT, não tenha medo de mostrar esses projetos feitos anteriormente e apontar qual foi a sua participação em cada um deles.

O portfólio pode não ser o seu, como freela individual, mas isso não significa que você não tenha adquirido experiência e conhecimento trabalhando em conjunto com outras pessoas. Até que você consiga fazer seu próprio portfólio freelancer, não esconda em casa materiais que possam comprovar suas habilidades ou talentos.

#5 Inscreva-se em sites de freelas

Existem pela internet diversos sites, brasileiros e gringos, feitos para dar chances a pessoas que querem conquistar o primeiro – e o segundo, o terceiro, o vigésimo – freela.

Na maioria deles os clientes já dizem quanto estão dispostos a pagar por determinado serviço e os profissionais cadastrados na plataforma escolhem se querem, ou não, se candidatar a ele. Como a ligação muitas vezes é feita diretamente entre cliente e freelancer, os sites não ganham dinheiro nessas conexões.

E, como muitos dos clientes pedem serviços em regime de urgência, sem “analisar antecedentes” e acreditando que a plataforma já está cedendo os melhores profissionais, essa pode ser a grande chance de descolar o primeiro “job de freela”, como o mercado chama.

Além disso tudo, é claro, um bom freela está sempre antenado nas novidades do mercado em que quer atuar e participa de eventos ligados à sua área para estabelecer contatos e conhecer mais possíveis diferenciais para sua carreira. Não se esqueça, portanto, de ser uma dessas pessoas que vai valorizar sua reputação freelancer, se atualizar e aprender cada vez mais, mesmo quando tiver a impressão de que já sabe de tudo.  

 

Comentários (1)

    Deixe um comentário

    Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *

    ×
    Ei! Se precisar de algo, estamos aqui pra te ajudar! :)